Salário-maternidade: saiba como funciona

Olá mamãe, você está às vésperas do nascimento do seu bebê e não entende como funciona o salário-maternidade? Sem problemas, vamos te explicar.

Conheça seus direitos

Têm direito ao salário-maternidade todas as mamães contribuintes do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) , independentemente se trabalhem com carteira assinada, de forma temporária, terceirizada e até mesmo as diaristas.

Mas, não apenas as que trabalham fora.  As donas de casa e as estudantes que contribuem com a Previdência Social podem receber o mesmo benefício, a partir de dez meses de contribuição.

Além disso, gestantes que sofreram aborto espontâneo ou conceberam um neném natimorto estão entre as beneficiárias.

A remuneração do salário-maternidade

A remuneração da licença é a mesma do contracheque mensal da mulher.

No caso daquelas que não têm rendimento fixo, mas são contribuintes, o valor será igual ao salário de referência da contribuição: se você paga sobre um salário mínimo, receberá um salário mínimo por mês.

Além disso, mulheres que foram demitidas 12 meses antes de descobrir a gestação, ou que adotaram uma criança neste período, também podem receber o benefício.

Tempo de afastamento para as mamães

O tempo de afastamento varia entre o mínimo de quatro meses (ou 120 dias corridos) e o máximo de seis meses, de acordo com a ocupação da contribuinte.

Porém, é possível que esse prazo seja ampliado, tendo a apresentação de atestados médicos como requisito básico.

O salário-maternidade é um direito e ajuda muito na economia doméstica. Mas após o tempo em casa, pode ser difícil para a mulher deixar seu filho e voltar para o trabalho. Este é o seu caso? A mamãe Graziela passou por uma situação similar. Veja seu depoimento:

Compartilhar: